Número de Acessos

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Chá-mate


(foto: Leo Wilczek)


Olhando fundo em teus olhos
Imerso em mundos imaginários
O mundo ao redor todo castanho
Minha retina colada na tua

Lembrei-me que era teu olhar
E não um país licoroso, chá-mate
Ao intuir por um momento
(Quase onde o campo de visão se dissolvia)
Um sol nascente emergindo da terra

Era teu sorriso acenando
Como a estender a mão
Antes que eu me afogasse
Náufrago perdido em tua íris


(Leo Wilczek)



3 comentários:

  1. muito muito muito demais!!!!!!!1111

    ResponderExcluir
  2. inevitável é o sorriso parvo ao ler estes versos...

    ResponderExcluir